terça-feira, junho 03, 2008

SOLITÁRIO

É uma brisa leve

Que o ar um momento teve

E que passa sem ter

Quase por tudo ser.

Quem amo não existe.

Vivo indeciso e triste.

Quem quis ser já me esquece

Quem sou não me conhece.

E em meio disto o aroma

Que a brisa traz me assoma

Um momento à consciência

Como uma confidência. "
("É uma brisa leve", Poema de Fernando Pessoa - enviado por mail)




O meu comentário???

O que dizer???

Tristeza descrita nas entrelinhas...

Desejos que não se confessam....

O limiar...o passo que não se deu.....

Restam apenas os passeios solitários....

As viagens por lugares familiares....

.............onde sabemos que não seremos rejeitados...

Apenas tolerados....

A tristeza ainda maior................

3 comentários:

RENARD disse...

O nos sentirmos "desadequados" em todo o lado. Como uma peça que se perdeu dum puzzle e que agora não sabe onde encaixar...

Beijos minha linda

Lumife disse...

Também gosto muito deste poema do Fernando Pessoa.

Beijos

Sol da meia noite disse...

A indefinição do sentir...

Bj *