quinta-feira, outubro 16, 2008

ESPALHADO

Provo nos teus lábios um pólen

de borboleta, húmido da noite

com a cor do mel que vem do amor,

e um veludo de asa, no centro de flor


Excerto do poema "Musa" de Nuno Júdice

(Livro "O Breve Sentimento do Eterno")



O meu comentário????



Quem não prova e não aprova tal sabor a mel??



Não se veste de dourado e não tem um sorriso aveludado?



Jogo com as palavras do poema...



Pois sinto nos meus lábios esse doce....



Esse mel de amor correspondido....



Esse sabor....



Esse cheiro eterno....



Espalhado pelo aveludado da noite.................

5 comentários:

Sol da meia noite disse...

Magnífico!!!

Beijinho *
:-)

ematejoca disse...

Acha, Marta, que o Neruda mereceu o Prémio Nobel? Penso, que vai dizer que mereceu. No entanto, há dias, quando o frances recebeu o Prémio Nobel da Literatura, disse-me alguém que a Gabriela Mistral, e o Pablo Neruda nao o tinham merecido. Nessa altura lembrei-me de si, pois é uma grande admiradora do Neruda, nao é verdade?

Escrevo sempre testamentos em vez de comentários.

Saudacoes outonais!

Só Eu disse...

Olá Marta.
Igual a ti própria. Excelente.
Beijinhos

Ynot Nosirrah disse...

Gostei de seu blog. Voltarei sempre que puder.

http://conscienciaacademica.blogspot.com/

f@ disse...

O sabor, a cor, a textura...
doce de flor...

Beijinhos das nuvens