quarta-feira, novembro 26, 2008

DO BEIJO

Um vento leve, uma espuma
Do beijo fica um sabor,
do sabor uma lembrança,
um vento leve, uma espuma.

Do beijo fica um sereno
olhar, o amor de coisas
minúsculas e humildes,
um pássaro que vai e vem
da nossa boca às palavras.
Do beijo fica, suprema,
a descoberta da morte.
Um vento leve, uma espuma
salgada, à flor dos lábios.




Fernando Assis Pacheco


O meu comentário????


Do beijo...


Fica-me, sim o teu sabor...


Crava-se na minha memória...


Une-me a ti...


Sempre....


Na tua ausência...


Renova-se quando me encontras...


Na chuva de desejos....


No amanhecer do prazer...


Nesse sorriso tolo...


Aparentemente...

6 comentários:

ZezinhoMota disse...

Bonita escolha e o beijo é uma caricia que seduz o amor e a paixão...
~
Bom resto de semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

daniel disse...

Marta

Gostei muito do poema, como sempre socorres-te de boas selecções.
O que tem piada é que bastante prosa jornalistica e sobre a sua estadia em Nambuangongo, mas nunca poesia.
Conhecia-o pessoalmente, interagi mesmo com ele, na feitura de uma efémera revista chamada "Musicalíssimo". Não simpatizava muito com a pessoa!...
Beijos,
Daniel

BC disse...

Quem diria Fernando Assis Pacheco, uma das pessoas que eu mais admirava.
Há quanto tempo, e hoje vim encontrá-lo aqui.
Obrigada por fazeres reviver momentos passados em que ouvia muito o Fernando e a sua poesia e declamação
Beijo
Isabel

Carla disse...

do beijo...fica o sabor, o amor...e uma memória para sempre!
beijos

ematejoca disse...

Li o seu comentário na Betty... e aqui estou.

Nunca ouvi falar no Fernando Assis Pacheco. Vou investigar!

Na chuva de desejos... desejo as melhoras da sua mae.

Marta pensa que eu sou louca por me estar sempre a referir à sua mae, sem a conhecer. Desculpe este atrevimento.

Saudacoes de Düsseldorf!

Sol da meia noite disse...

Fica sempre e para sempre em nós o sabor de um beijo...

Beijinho *
:-)