terça-feira, junho 30, 2009

NOUTRO LOCAL

Contam que as sombras permanencem agora mais tempo sobre

as dunas e que a flor de laranjeira rebentou pelos caminhos,

encantando as viagens; que os morangos crescem, se os dedos

se aproximam, e que já se ouve, ao longe um rumor de asas

contrário a qualquer vento. Falam de um perfume estranho

que paira pela cidade e pelas palavras soltas que os rapazes

andaram a escrever pelos muros em segredo. E eu não sei nada


disto que me contam, nem me aquece a luz quente que,

como dizem, afaga de manhã os ombros de quem passa e vai

a outro lugar sentir o mesmo lume. E eu também já não sinto


a primavera: os dedos doem-me nos livros, sento-me de noite

à janela. Olho a lua que já não posso ter. Escondo-me

dos gatos. Dispo-me e vou dormir lá fora com as aves.


De Maria do Rosário Pedreira (Livro "A Casa e o Cheiro dos Livros")


O meu comentário???


O que dizer, enfim?

Não sei se estou com pena de mim...

Se estou a deixar que a dor me arraste...

Me cegue e eu esteja inume ao que me rodeia...

Se não sinto nada...

Se nem o livro consigo ler e o deixo ao abandono...

Ou nem passeie com o Sol...

Talvez a resposta esteja no voo das aves...

E eu possa refazer os meus passos noutro local..

Talvez a luz do Sol lá seja diferente...

E as recordações não sejam tão intensas...

Aqui...

morrerei nas sombras....




5 comentários:

João Videira Santos disse...

Todas as palavras aqui escritas (neste post) têm a essência do sentimento. gostei!

Cadinho RoCo disse...

Tal como obsevamos somos pelo mundo observados.
Cadinho RoCo

Graça Pires disse...

Este é um poema lindíssimo como todos os poemas deste livro da Maria do Rosário Pedreira.
"Talvez a resposta esteja no voo das aves..." como dizes.
Um beijo.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA MARTA, MARAVILHOSO POEMA E COMENTÁRIO ***** ESTRELAS AMIGA... BOM FIM DE SEMANA,
FERNANDINHA

Graça disse...

Dois belíssimos poemas, Marta.


Um beijo meu e bom fim de semana