domingo, fevereiro 14, 2010

DIVINO

Presto distraída atenção ao meu corpo.
O que me pede, eu faço.
Às vezes, não entendo logo as suas ordens, mas
cedo sempre.
Me achego a ele e indago:
"O que queres ? Ah, é isso? Então, concedo.
Sempre que eu resisti
um de nós saiu-se mal.
Nas 24 horas do dia, ele pede,
e quando cala, fala
num discurso de sonhos
que me abala.
Ele sabe. Eu sei que ele sabe,
e sabe antes de mim, e nele
eu sei dobrado, sou um-e-dois
como os dois cortes de um sabre.
"Corpo Exige" de Affonso Romano de Sant'Anna
O meu comentário???
O que vai mal em mim...
As lágrimas presas,
a dor no coração...
O corpo manifesta-se, alerta-nos...
Fugimos dele,
evitamos olhar para ele...
Até a alma conspira com ele....
Grita em nós nos sonhos
que achamos ser pesadelos....
Mas o verdadeiro pesadelo
começa; é tarde...
O corpo cansa-se;
a alma insurge-me contra nós..
Abandonam-nos;
deixam-nos sem sonhos...
Num nublina densa....
Onde podemos ficar para sempre;
ou quando regressamos,
ouvir a voz do corpo
é
reencontrar o divino...

7 comentários:

Je Vois la Vie en Vert disse...

O nosso corpo precisa de cuidado e se não cuidamos dele, como é que podemos ser capaz de cuidar dos outros ?

Queres fazer um voo com um par apaixonado ? Então faz uma visitinha no meu blogue..

Beijinhos

Verdinha

Daniel Costa disse...

Marta

Dois bons poemas. se queres diga, gostei mais do teu, talvez seja mais um tipo mis do meu prório gosto.
Beijos
Daniel

Chris disse...

Os sinais do corpo, sentimentos e emoções que guardamos até ao reencontro com o divino.
Gostei de te voltar a ler.
Um beijo
Chris

mixtu disse...

sonhos que achamos ser pesadelos
úm voar de sensações...
sentidas..
vividas...

num reencontrar o divino

a alma que procura ser luz...

poesia...

abrazo serrano

argumentonio disse...

o corpo é um lugar difuso, provavelmente não existe para além das sensações, embora José Gil o situe extensivamente ao meio ambiente próximo, como que prolongando o ser até às águas e vapores que exalamos mas também a tudo o que tocamos ou, talvez, quanto sentimos - no limite, tudo seria corpo, a acreditar que o universo não compreende o vazio

mas que importa? pelos vistos, o corpo faz-se ouvir e só a possibilidade de conspiração é fascínio bastante para o espírito perdoar a hipótese da matéria e fazer do corpo um tapete de Aladino que faz voar os nossos sonhos

;_)))

Graça Pires disse...

"ouvir a voz do corpo é reencontrar o divino..."
Gostei muito.
Beijos.

soggyscheme disse...

vive-o. sente-o no mais profundo de ti. abraça-o, entende-o, aceita-o e torna-o belo e bom para ti.