sexta-feira, fevereiro 19, 2010

NÃO SE PERDOA

Aos trinta e sete anos do teu corpo
Às vinte e quatro horas da tua carne
E ao desejo que, à vezes, é tão pouco
E ao amor que, mesmo assim, ainda arde.
Ao ciúme da tua boca, quando calas
Ao silêncio dos teus olhos, quando choras
E aos teus braços nus, quando me abraças
E ao teu ventre, que é tão breve quando parto.
E às tuas esperanças vãs, que eu alimento
E ao ópio do teu sonho onde me tardo
E a ti onde, afinal não aconteço..
Poema de Fernando Tavares Rodrigues
O meu comentário???
E à suavidade com que me despeço de tudo...
As palavras que devia ter dito...
Ás ilusões e sonhos que tive e nunca realizei...
Confissões que ainda guardo no coração...
Porque te amei....
Não pensei que te amei...
amei-te verdadeiramente...
Só que me perdi no tempo
e isso não se perdoa...
Existo, sim,
mas não em ti....

6 comentários:

mixtu disse...

o pensar
o amar
o voltar amar quem se amou
a maior dor... se ele ou ela já não nos ama,,,
em ti...

poesia

abrazo serrano

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Olá.

Vim conhecer o seu espaço de sonhos e sentimentos.

Quando um texto,
chega mansamente ao coração,
e o ocupa,
é porque as palavras nascidas dele encontraram o seu sentido.

Muito bonito tudo que encontramos aqui.

Uma semana de paz para ti.

Graça Pires disse...

O amor não tem razões nem tempo. O amor é um sonho rente ao coração.
Um beijo.

uminuto disse...

porque temos de existir em nós, antes de existirmos em mais alguém
um beijo

mixtu disse...

existir num depois... sem ele...

muito importante... porque a vida continua...

abrazo serrano

soggyscheme disse...

bonito layout, gostei das tuas palavras. do modo como te exprimes.