domingo, fevereiro 27, 2011

DESPOJADOS

Na ambígua intimidade
que nos concedem
podemos andar nus
diante de seus retratos.
Não reprovam nem sorriem
como se neles a nudez fosse maior

"Os Mortos" de Carlos Drummond de Andrade (escolhido por Vanuza Pantaleão)

O meu comentário???
Porque estão verdadeiramente esquecidos...
São apenas rostos.
Sem nomes, 
sem histórias....
Sem memórias escritas...
Não podem sorrir,
porque estão tristes...
Estão vulneráveis.....
Despojados
de tudo o que é viver....

6 comentários:

JPD disse...

Excelente poema, magnífica réplica.
Bjs, Marta

Daniel Costa disse...

Marta

"Depojados", achei mais um acerto teu pois. A amiga Vanuza teve uma selecção feliz, ou não fosse ela.
Por tudo estás de parabéns.
Beijos

Daniel Costa disse...

Marta

Não podia deixar de me congratular por a Vanuza ser tua amiga.
Beijos

Graça Pires disse...

Drummond sempre excelente!
Tens razão: são apenas rostos. As suas histórias não entram na intimidade de uma nudez consentida...
Um grande beijo, amiga.

. disse...

A imóvel imagem que se desnuda em imensa poesia

Belo o poema e tuas notas

Bjo

Sofá Amarelo disse...

A nudez do retrato é sempre maior que a nudez do olhar...