quinta-feira, abril 14, 2011

MAPA DO TESOURO

Uma declaração de amor não é acontecimento
de domínio público, uma baleia que vara na praia
sob o sol dos desastres e convoca multidões,
desalinhando hábitos quotidianos: uma declara-
ção de amor é um acto de grande intimidade que
ergue um véu transparente de onde brotam mel e
pássaros azuis. As palavras directas ou indirectas,
ditas ou escritas, suscitam a carícia única, irrepe-
tível, a leve percussão que desenha no silêncio a
imagem de quem se ama. E assim terá de se guardar.
Num lugar seguro onde os sismos não possam
encontrar o mapa de tesouro

de Egito Gonçalves

O meu comentário???
O meu lugar seguro é o meu coração...
Onde escrevo tudo...
As palavras que já te disse,
as que pensei dizer-te hoje...
E as que não vou repetir amanhã,
porque fiquei em silêncio...
Com o beijo carinhoso e suave
com que fechaste o meu dia...
A noite pode ser azul e doce....
Mas ignoramos tudo.....
Mesmo o mapa do tesouro....
Sabemos perfeitamente onde estamos...


5 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Há coisas que só fazem sentido se forem declaradas em privado... as declarações de amor fazem parte desses segredos..

Silviah Carvalho disse...

Muito bonito o poema, parabéns e um bom fim de semana.

Álvaro Lins disse...

Está a tornar-se um hábito passar por aqui. Um bom hábito, porque gosto.
Bjo

Sandra disse...

Muito bom o comentário, para mim superior ao poema.
Parabéns!

tecas disse...

Se o poema do Egito Gonçalves é bom:
«As palavras directas ou indirectas,
ditas ou escritas, suscitam a carícia única, irrepe-
tível, a leve percussão que desenha no silêncio a
imagem de quem se ama. E assim terá de se guardar.»
O seu, querida,é para se guardar com todo o sentimento que deslizam das palavras.
Sublime.
Bfds.
Bjito e uma flor