sexta-feira, abril 22, 2011

POR QUEM

A demora desta carta
Vem do tempo em que escolhi
Entre mil penas, a pena
De me ver longe de ti.

Quero escrever e não sei!
Sendo em ti meu firmamento..
O pensamento é um rochedo;
Palavras, leva-as o vento.

Palavras, leva-as o vento?
- Nem tufão, nem torvelinho
Arrastariam suspiros
Em que te falo sozinho!

de António Corrêa d'Oliveira "Palavras leva-as o vento"

O meu comentário???
Talvez seja por isso que falas sozinho....
Porque as deixaste fugir....
Ás vezes,
é tarde demais para falar....
Deixaste que o Vento conquistasse o tempo....
E devias ter ficado e
lutado.....
Por quem
agora te inspira o poema
que escreves e dizes
não saber como....

6 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Gostei de ambos os poemas, mas um reparo, talvez de intrepretação: pareceu-me que o poeta, não fala como se estivesse só voluntariamente. Terei visto mal, poque a visão do teu belo poema parece ser outra.
Beijos de desejos de uma Santa Páscoa.

Nilson Barcelli disse...

Uma bela resposta/comentário.
O poema em causa pode ter várias interpretações. Deste-lhe uma, que é plausível.
Beijos, querida amiga.

Sofá Amarelo disse...

Se palavras leva-os o vento, então o melhor mesmo é trocar as palavras por gestos, por atitudes, por presenças... Adriano Corrêa d' Oliveira como poucos o conhecem...

Evanir disse...

Estou aqui atravez do blog do poeta e amigo Daniel.
Eu assim como você posto poemas que identifica .
È maravilhosa suas postagens .
desejo a você uma Santa Páscoa beijos carinhosos,Evanir
www.aviagem1.blogspot.com
www.fonte-amor.zip.net
Te seguindo.

Graça Pires disse...

Concordo com o poeta quando diz que as palavras leva-as o vento. Há muita gente a falar e depois nada faz para mudar as coisas.
Adriano Corrêa d' Oliveira talvez devesse ter ficado e lutado, mas a morte não lhe perdoou...
Um grande beijo.

tecas disse...

Ambos os poemas são excelentes, linda Marta.
Tenho uma dúvida. O poema é do Adriano Corrêa d' Oliveira, ou de António Correia de Oliveira?
António C. Oliveira tem um poema que é dos que eu mais gosto.« O Perdão das Árvores» A poesia do Adriano tem um pendor diferente.
Seja o António ou o Adriano, certo é, a réplica / comentário ser óptima.E, aqui as palavras não as leva o vento:)
Bjito e uma flor