segunda-feira, abril 25, 2011

REINO DO SOL

É por ti que escrevo que não és musa nem deusa
mas a mulher do meu horizonte
na imperfeição e na incoincidência do dia-a-dia
Por ti desejo o sossego oval
em que possas identificar-te na limpidez de um centro
em que a felicidade se revele como um jardim branco
onde reconheças a dália da tua identidade azul
É porque amo  a cálida formosura do teu torso
a latitude pura da tua fronte
o teu olhar iluminada
o teu sorriso solar
é porque sem ti não conheceria o girassol do horizonte
nem a túmida integridade do trigo
que eu procuro as palavras fragrantes de um óasis
para a oferenda do meu sangue inquieto
onde pressinto a vermelha trajectória de um sol
que quer resplandescer em largas planícies
sulcado por um tranquilo rio sumptuoso

De António Augusto Rosa

O meu comentário????
E no horizonte me declaro...
Reparo no que há de mais simples na vida...
A tranquilidade dos cheiros...
O prazer das cores...
Os sentimentos inquietos num dia,
quase sempre imperfeito....
Mas se escrevo sobre ti,
se penso em ti,
mesmo que ache
que não há coincidências,
olho o mundo doutra maneira....
Porque tu existes..
E eu deixei o reino das sombras
e vivo agora no Sol.....

5 comentários:

Álvaro Lins disse...

olá Mãrta - Já sabes que é um prazer passar por aqui!
Parabéns pela poesia e poeta (como sempre, aliás)e PARABÉNS pelo comentário...aproveita o "Sol"!

Daniel Costa disse...

Marta

Vi em ambos os poemas beleza e profundidade. Disse os porque também gostei muito do teu.
Beijos

Érico Cordeiro disse...

Olá, Marta
Gostaria de convidar você e seus leitores para as comemorações dos dois anos do blog Jazz + Bossa + Baratos Outros:
www.ericocordeiro.blogspot.com
Um fraterno abraço!

Lídia Borges disse...

Um comentário à altura do texto Realço:

" Olho o mundo de outra maneira...
Porque tu existes..."


Um beijo

tecas disse...

Martinha, gosto da poesia do Augusto Rosas.Sem dúvida o poema é uma beleza.
Mais do que estar a sua réplica à altura, ela está divina!
«Mas se escrevo sobre ti,
se penso em ti,
mesmo que ache
que não há coincidências,
olho o mundo doutra maneira....
Porque tu existes...»
Divinamente bela.
Bjito e uma flor