terça-feira, outubro 23, 2012

ESTRANHO CONSOLO





Conheces-me…

E sabes o que procuro na chuva…

Escondo-me,

esqueço-me nas sombras

e espero que o tempo não me encontre….

Mas tu não…esperas por mim…

Não dizes absolutamente nada…

E o teu silêncio é um estranho consolo…

FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

5 comentários:

Sofá Amarelo disse...

O silêncio é estranho quando o tempo se esconde nas sombras e a chuva leva os sons desse silêncio... mas o consolo está no saber esperar...

Daniel Costa disse...

Marta

Para cosolo, o silêncio serve nada, só para esconder indiferença.
beijos

tecas disse...

Querida Marta, por vezes o silêncio fala. É um estranho consolo mas...o fruto do silêncio é este seu belo poema.
Beijinho amigo e uma flor.

oteudoceolhar disse...

Como somos estranhos...
A mim o silêncio por vezes feito de palavras de alento e um olhar cruzado de surpresa causam-me um estranho consolo feito alento...
Que céu...Nuvens Amo-as!
Beijo Marta n´oteudoceolhar *

Nilson Barcelli disse...

É a chuva que nos lava a alma...
Lindo poema, gostei.
Beijo, querida amiga.