segunda-feira, janeiro 27, 2014

CINZENTO



Nada…

Hoje,
não tenho nada a dizer…
Tenho apenas uma folha branca,
uma caneta com dizeres publicitários
e palavras desorganizadas, indecisas
e assustadas...
Como o meu pensamento
Se, ao menos, o Sol brilhasse…
Mas o dia amanheceu cinzento, 
com promessa de chuva violenta….





Foto de José Alex Gandum

7 comentários:

Secreta disse...

O Sol há-de andar por aí escondido, algures...e quando o avistares, tudo se tornará mais claro e decisivo...
Beijinhos.

JP disse...

E é nessa folha branca que desenharás dias cheios da claridade do sol...a chuva há-de passar :))

Beijinhos

Daniel Costa disse...

Boa tarde Marta, o dia cinzentão, como hoje, só dá cinzento, Vale a poesia para trazer um pouco de luz.

Nilson Barcelli disse...

Há dias assim...
E a chuva não ajuda nada.
Mas talvez as gotas de água a escorrer pelos vidros das janelas te inspirem... eheheh...
Marta, tem uma boa semana.
Beijo.

Sofá Amarelo disse...

Cinzentos são os momentos em que nada há para dizer e as palavras são desorganizadas, indecisas e assustadas. A chuva veio para ficar e mesmo que o Sol teime em espreitar, os dias continuam a nascer cinzentos...

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Sinto-me como tu...desanimada...sem vontade de saír...conversar...passear; as semanas seguidas de chuva e os dias cinzentos, fazendo lembrar a noite, não me inspiram. Mas, tendo também pouco a dizer, ainda dá para te dizer que gosto muito de vir aqui e para deixar um beijinho de boa noite. Amanhã, não esperes...o sol parece que vai ficar escondido!!!
Emília

© Piedade Araújo Sol disse...

amanhã o sol brilha, e com ele outro poema...

:)