domingo, maio 11, 2014

IGUAL



Esta noite,
deixo que a chuva me embale
e entro livremente no seu enredo ...
Com um outro nome...
com uma outra vida ...
Serei diferente ou farei tudo igual?
Não sei...
Deixo-me levar pelo rio do tempo
À procura de certezas....



TELA DE ALEXEJ SLUSAR

5 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Por vezes, talvez seja, poeticamente, benéfico para o espírito que poderá resultar da corrente.
Beijos

Mar Arável disse...

Tudo se move

Sofá Amarelo disse...

Passamos livremente pelo rio do tempo sempre em busca de certezas... embora por vezes o que encontramos são dúvidas permanentes...

Ailime disse...

Olá Marta, estive a ler os seus últimos poemas e todos eles são belíssimos, como sempre! Há neles como que uma prece que será ouvida! O vento, o mar, a chuva, elementos fortes nessa busca constante, que um dia alvejará! Um beijinho e uma boa noite. Ailime

Emília Pinto disse...

Esta noite, este dia, amanhã, um nova noite; seremos sempre diferentes, mesmo que as diferenças sejam imperceptíveis.E as certeza, amigas, não sei...parece-me que nunca as teremos, pois a vida é uma constante incerteza. Só o aqui e o agora nos é garantido. Lindo! Beijinhos e não desistas da tua procura. Tento não desistir das minhas.
Emília