sábado, maio 17, 2014

VÃO




Não sei
onde estás ou o que fazes...
Há dias
em que não sei nada de ti
E tenho medo...
De não te voltar a ver
De me perder à tua procura
e tudo ter sido em vão...



TELA DE IVAN SLAVINSKY


8 comentários:

Graça Pires disse...

De quando em quando sentimos toda a fragilidade do amor que nos fascina como uma luz a que tentamos chegar nem que seja de rastos...
Um beijo, Marta.

Daniel Costa disse...

Marta

O medo é sempre o papão, a nunca nos deixar sossegado.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

Medo de perder há sempre, mas nada é em vão quando tem um sentido, mesmo que esse sentido seja uma pausa na presença...

vieira calado disse...

Há dias assim...
Ou tudo parece fugir!
Beijinhos!

MDRoque disse...

Viva!
Hoje tive um tempinho extra, para poder ler e comentar como deve de ser.
Normalmente uso o G+1 para marcar presença, mas nem sempre me satisfaz.
É um privilégio ler escritos bons, e eu vou tentar ser mais presente.
Abraços e beijos. D

http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

Agostinho disse...

Boa noite Marta,
Cheguei hoje aqui e encontro um delicado bordado de palavras no feminino. Coerente.

Sonhadora (Rosa Maria) disse...

Minha querida

Quantas vezes estamos assim...perdidas de nós e sem conseguir encontrar o rumo.
Lindo sempre.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

© Piedade Araújo Sol disse...

também em assalta esse medo...

:)