sábado, maio 17, 2014

VÃO




Não sei
onde estás ou o que fazes...
Há dias
em que não sei nada de ti
E tenho medo...
De não te voltar a ver
De me perder à tua procura
e tudo ter sido em vão...



TELA DE IVAN SLAVINSKY


8 comentários:

Graça Pires disse...

De quando em quando sentimos toda a fragilidade do amor que nos fascina como uma luz a que tentamos chegar nem que seja de rastos...
Um beijo, Marta.

Daniel Costa disse...

Marta

O medo é sempre o papão, a nunca nos deixar sossegado.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

Medo de perder há sempre, mas nada é em vão quando tem um sentido, mesmo que esse sentido seja uma pausa na presença...

Vieira Calado disse...

Há dias assim...
Ou tudo parece fugir!
Beijinhos!

M D Roque disse...

Viva!
Hoje tive um tempinho extra, para poder ler e comentar como deve de ser.
Normalmente uso o G+1 para marcar presença, mas nem sempre me satisfaz.
É um privilégio ler escritos bons, e eu vou tentar ser mais presente.
Abraços e beijos. D

http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

Agostinho disse...

Boa noite Marta,
Cheguei hoje aqui e encontro um delicado bordado de palavras no feminino. Coerente.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Quantas vezes estamos assim...perdidas de nós e sem conseguir encontrar o rumo.
Lindo sempre.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

© Piedade Araújo Sol disse...

também em assalta esse medo...

:)