sexta-feira, julho 18, 2014

MAR






SUMMER CHILD” DONALD ZOLAN


Tenho saudades do mar,
da voz da minha Mãe...
De castelos esculpidos na areia
Do vaivém das ondas
E das histórias...
Que nunca escrevi,
e que nunca escreverei...
Porque já as confessei ao mar....

 

8 comentários:

Daniel Costa disse...

Marte

O sonho será escrever sempre ao mar sentido a sua fresca brisa, a nos saudar,
beijos

Nilson Barcelli disse...

Há sempre saudades que nos assaltam...
Magnífico poema, gostei imenso.
Querida amiga Marta, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Sofá Amarelo disse...

E o mar é mesmo o melhor ouvinte a quem podemos contar histórias, todas as histórias, as de encantar e as outras, mesmo aquelas que falam de saudade e do vaivém das ondas...

Pérola disse...

Quanta simplicidade e poesia nessa saudade!

Beijinhos

ॐ Shirley ॐ disse...

As recordações sempre enchem o nosso coração de nostalgia...
Marta, beijo!

Algodão Tão Doce disse...

Olá amiga,vim retribuir sua carinhosa visita ao meu cantinho.
Fiquei feliz com sua doce presença!
Obrigada,volte sempre e pegue o meu selinho de agradecimento!

Beijos Marie.

Agostinho disse...

Para quando o regresso ao mar?
o sal que nos alaga o olhar.

Graça Pires disse...

O mar. A deixar-nos a saudade da infância. A fazer-nos desejar a inocência perdida. A trazer-nos a voz da mãe. A deixar-nos no olhar toda a água salgada...
Um beijo, Marta.