domingo, janeiro 18, 2015

NO INFINITO



Esta é
a voz da Lua
a abrir a noite...

Estas são
as palavras que ressoam
nas estrelas...

Esta é a história
que sempre quis escrever...
Se bem que agora...
procuro apenas
o infinito....



DA PÁGINA DISCOVER ART

7 comentários:

AC disse...

Há, e haverá, sempre algo a "desafiar-nos"...

Um beijo :)

Daniel Costa disse...

Marta

O infinito é metáfora, muito comum, no pensamento dos poetas.

Se me sumi um pouco tem a ver por sentir necessidade de fazer uma pausa.
Beijos

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Outro poema lindo!
Uma voz a quem o infinito ainda tem muito para oferecer!
Um beijinho e boa semana.
Ailime

Emília Pinto disse...

Agora só procuras o infinito, mas...a vontade voltará e as palvras sairão. Há momentos assim. Poema simples, mas belo, como sempre. Beijinhos e até sempre
Emília

vendedor de ilusão disse...

Olá, Marta!
Até onde pude ler, encantou-me as tuas criações; gostei tanto que salvei teu link entre os meus favoritos para poder aqui voltar e deslumbrar-me...
Abraço e apareças.

Sofá Amarelo disse...

Porque é no Infinito que está decalcada a voz da Lua no abrir da noite, enquanto palavras ressoam nas estrelas...

Agostinho disse...

Se o infinito é utopia
Quando acaba a noite,
Descansa, começa o dia.