terça-feira, abril 28, 2015

QUEM ÉS




Não,
não sei quem tu és...
Se o amante apaixonado e intenso,
se o amigo controlador e arrogante...

Hoje...
Hoje não vou procurar desculpas...
Nem sequer
vou pensar que a culpa é minha...

Porque hoje...
Hoje vou (re) aprender a ser
quem sempre fui...


Tela de Axentowicz

8 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

e que assim seja!

beijinho

:)

Ailime disse...

Muito belo este poema, Marta!
Sendo e sempre amando.
Beijinhos,
Ailime

vendedor de ilusão disse...

Por vezes, devemos, mesmo que sendo radicais, agir de modo à agradar a nós mesmos.

Daniel Costa disse...

Marta, podemos ter dúvidas mas o nosso queres, mas temos de ter muito em conta o nosso querer.
Beijos

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Marta.
Poema que retrata tantas realidades.
"procurar desculpas" - jamais!

bj amg

Sofá Amarelo disse...

E só sendo que se foi se pode ser quem se é... é sempre tempo de (re)aprender sem procurar desculpas...

Graça Pires disse...

Sermos sempre o que somos... É o caminho certo, apesar de nem sempre termos a certeza...
Um beijo, Marta.

Agostinho disse...

Limpar o pó dá trabalho
mas no fim tudo brilhará.