segunda-feira, setembro 14, 2015

QUALQUER NOITE



Esta noite...
Porquê esta noite,
se podemos falar de amor todas as noites?
Intensamente,
com a paixão a falar alto aos sentidos...
Ou lentamente,
com o desejo a revelar-se,
a conhecer a pele...
Na sedução de qualquer noite,
de chuva macia ou de Lua Cheia...


De Peter Wever

5 comentários:

Daniel Costa disse...

Bem se pode perguntar, porquê? Se o calor poético do amor, com as suas nuances, poderá ser sempre igual.
Beijos

Agostinho disse...

Lentamente a desnudação do amor.
Bonito, Marta.

Secreta disse...

Lindo poema. Excelente escolha a tua.
Beijitos.

Sofá Amarelo disse...

Mesmo em noites de chuva pouco macia, como a noite que está lá fora... pode falar-se sempre (e deve falar-se sempre), mas mais do que falar deve amar-se todas as noites... na revelação de todos os sentidos...

© Piedade Araújo Sol disse...

sim todas as noites (e todos os dias) se pode falar de amor!

beijinho

:)