terça-feira, março 25, 2008

VENTO TRANSPARENTE

Quando o horizonte se fecha


o azul converte-se em cinzento


e o próprio mar fica


da cor do vento





de Manuel Alegre, "A cor do vento" (Doze naus)





O meu comentário???


Terá o vento cor??


Não será apenas transparente?


O vento brinca connosco,


infiltra-se na nossa vida...


Leva-nos ao desespero....


À fúria....


Ou torna-se inesperadamente doce....


Devolve-nos o que nos arrancou...


Escondeu...troçou...


Secando-nos as lágrimas.......

5 comentários:

Sol da meia noite disse...

Marta
Algo que se deve evitar, que o azul dê lugar ao cinzento.
Manuel Alegre, Poeta do meu coração, meu quase "vizinho"... Bela a escolha!

Beijinhos

velaaovento disse...

Acredito que o vento tem cor...
A cor da magia... porque o vento é um elemento mágico... Tanto o poder que tem!
Beijinhos

Bichinho disse...

TERÁ??!! bEIJO FANTASMA.

Marta Ribeiro disse...

Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras.
Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.
Passou uma jovem e ficou admirada com a flor.
Logo pensou em Deus. Cortou a flor e a levou para a igreja.
Mas, após uma semana a flor tinha morrido.


Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras.
Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.
Passou um homem, viu a flor, pensou em Deus, agradeceu e a deixou ali;
Não quis cortá-la para não matá-la.
Mas, dias depois, veio uma tempestade e a flor morreu...



Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras.
Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.
Passou uma criança e achou que aquela flor era parecida com ela: bonita, mas sozinha.
Decidiu voltar todos os dias.
Um dia regou, outro dia trouxe terra, outro dia podou,
Depois fez um canteiro, colocou adubo...
Um mês depois, lá onde tinha só pedras e uma flor, havia um jardim!...



”Assim se cultiva uma amizade...”

ContorNUS disse...

Lindíssimo pensamento