domingo, julho 19, 2009

NO MEIO

A PONTE
Atravessei uma ponte
coberta de carinhos
de amor fraterno
enquanto eu sorria
Ao atravessar senti a saudade
que me deu os bons dias
e ouvi o canto das sereias
num mar tranquilo
Senti a paz que me acompanhava
com harmonia e dignididade
sentia-me seguro
era a ponte da amizade
Pedro Valdoy (II Antologia de Poetas Lusófonos)
O meu comentário??
Saudade..
A tristeza que fica no suspiro lançado para o ar...
Afoga-se no carinho do abraço.
Nas palavras vivas;
na esperança do olhar...
Por muito duro que seja a separação...
Se houver uma palavra amiga no outro lado da ponte..
A ponte que é a nossa vida..
Mais fácil a descoberta da alegria.
Mas quando se fica no meio da ponte?
Com dúvidas?

6 comentários:

HSLO disse...

Belo poema.

Te desejo um ótimo domingo.

Abraços

Hugo de Oliveira

Je Vois la Vie en Vert disse...

Sinto muito esta saudade quando atravesso uma "ponte aérea"...

Beijinhos da

Verdinha

P.S. N'oublie pas de prendre l'image que j'ai faite en remerciement pour ton poème

entremares disse...

"Ao atravessar senti a saudade"

Será possível sentir saudades ainda antes de partir?
Acredito que sim.
De amor, de amizade, de outra coisa qualquer.

As pontes unem e afastam.
E, mesmo que por ali fiquemos, no meio... não conseguimos unir os dois extremos.

Uma óptima semana...

Aislin Nahimana disse...

precisamos aprender a atravessar nossas pontes, deixando o que ficou pra trás e trilhando novos caminhos...

bjosss!!!

http://aislinnahimana.blogger.com.br

a magia da noite disse...

haverá sempre um dúvida qualquer que nos deixe no meio duma travessia.

Graça Pires disse...

Há sempre uma ponte que nos atravessa a esperança...
Um beijo.