sexta-feira, abril 01, 2011

NA PELE

como dizer aos meus olhos que se afastem
do incêndio que lavra a oriente do teu sangue
rasgando a minha fome

e me protejam nesta imperfeita madrugada
em que as línguas dos homens e dos anjos
se confundem

de Alice Vieira,  in "Cinco Breves Momentos de Maio"

O meu comentário???
Como dizer, enfim que tudo acabou?
Como apagar o desejo,
a paixão que ainda vejo nos meus olhos??
Como te quero ainda....
Fico sem saber o que pensar....
Fico acordada, sem paz.....
Porque ainda te escuto....
Ainda repito baixinho
as tuas palavras de amor....
Ainda as sinto numa carícia na pele....

7 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

tecas disse...

Boa tarde, querida Marta!
Bela réplica à Alice Vieira.
«Fico sem saber o que pensar....
Fico acordada, sem paz.....
Porque ainda te escuto....
Ainda repito baixinho
as tuas palavras de amor....
Ainda as sinto numa carícia na pele....»
Fabulosa.
Bjito e uma flor.

Sofá Amarelo disse...

Quando as madrugadas são imperfeitas é porque a língua dos homens já se confunde com a língua dos anjos... mas há sempre uns olhos que nos protegem...

João Ludugero disse...

ADOREI SEU BLOG MARAVILHOSO!
DEU VONTADE DE FICAR E TE SEGUIR, JÁ ESTOU DENTRO.
FELICIDADES E SUCESSO, HOJE E SEMPRE!
PASSA LÁ NO MEU. SE GOSTAR, ME SIGA.
HIPER ABRAÇO.
JOÃO.

A. Jorge disse...

Dúvidas, interrogações, inseguranças... enfim! Quem não as tem?

Beijos

Jorge

http://escarniosmaldizeres.blogspot.com/

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Gostei do teu comentário*

Daniel Costa disse...

Marta

Bem imaginado o teu poema comentário, gostei deveras.
Beijos