domingo, setembro 22, 2013

ATÉ À EXAUSTÃO


TELA DE OMAR ORTIZ


Sei que estas
(as palavras)
são minhas...

Repito-as até à exaustão...

Deito-me nelas,
levanto-me com elas...

Amo-te nelas...

Como podes dizer 
que não são nossas?

7 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Se as consideramos "nossas" as palavras, nada menos que com exaustão as devemos pronunciar.
Pelo menos num interessante poema.
Beijos

LUZ disse...

A mente masculina é assim.

Beijos.

Sofá Amarelo disse...

As palavras podem ser partilha quando são repetidas por ambos até à exaustão, ou quando ambos se deitam nelas...

© Piedade Araújo Sol disse...

são sempre!

gostei!

:)

Secreta disse...

Talvez porque são "sentidas" por ti, apenas...
beijito.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Para algumas pessoas as palavras são surdas.
Lindo como sempre.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Ailime disse...

Lindo, Marta! Serão sempre. Beijinhos Ailime