quarta-feira, setembro 17, 2014

OLHAR



Hoje... falo do olhar
Um olhar triste e incompleto
Perdido no labirinto da Lua
Esquecido no esplendor do Sol
Tão longínquo como o horizonte...


TELA DE MARK SHASKA

9 comentários:

Gracita disse...

Bom dia Marta
Muitas vezes estamos tão imersos em pensamentos que o olhar reflete nossos devaneios. Lindo
Beijos

Ailime disse...

Muito belo, Marta!
Um olhar que outro olhar espera e que um dia se completarão!!
Um beijinho e um bom dia!
Ailime

Daniel Costa disse...

Marta
O olhar, ainda que silencioso, pode ser muito eloquente.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

O horizonte é longínquo quando o olhar se esquece no esplendor da distância que compete com o Sol no labirinto da Lua...

Graça Pires disse...

Demorar o olhar nos sonhos alheios e reconhecer o esboço dos nossos...
Nostálgico, o poema...
Beijo, Marta.

Agostinho disse...

E o que é o horizonte senão o olhar?
Uma boa noite, Marta, se houver luar.

Mar Arável disse...

A olhar

não se vê

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Um belo tema, o olhar... no outro, perdido, em si, distante, ameaçador, convidativo, triste, ausente... "tão longínquo como o horizonte"...

Um beijo amigo

© Piedade Araújo Sol disse...

um olhar (hoje) nostálgico...

:)