quarta-feira, outubro 14, 2015

AUSENTE



Estou perdida...
No meio do nada
Num deserto sem palavras, sem cor
E nem os sonhos são bem-vindos
Porque me trazem o teu beijo,
o teu cheiro,
e o teu corpo ausente...

Para o meu amigo Pedro
Por me ter dado a ideia



DE SANJUAN CHELIN

6 comentários:

Agostinho disse...

Há sonhos adiados
de saudade larvar.

Bj

Sofá Amarelo disse...

Os sonhos só são bem-vindos quando são o preâmbulo de uma realidade em forma de palavras ou de gestos...

Jaime Portela disse...

Há ausências que nos deixam perdidos...
Magnífico poema, gostei imenso das suas palavras.
Marta, querida amiga, desejo-lhe a continuação de uma boa semana.
Abraço.

Graça Pires disse...

Um poema tão sentido, Marta. A melancolia do outono traz palavras magoadas...
Um beijo.

Emília Pinto disse...

Com chuva enroscamo-nos em nós mesmas e imaginamos, dormitamos, refletimos e sonhamos; não há pressa, o tempo é agora da chuva que toma conta de tudo como se tudo a ela pertencesse. E assim, perdidos no meio do nada, ouvimos o nosso eu tantas vezes " ausente " de nós. De vez em quando é preciso fazê-lo presente.
Beijinhos, Marta e um bom fim de semana
Emília

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema com sabor a saudade de alguém ausente
mas
ainda resta o cheiro e quiçá
uma esperança

bom fim de semana.

beijinho

:)