quarta-feira, junho 25, 2008

AMAR COM CERTEZAS

Desde que tudo me cansa,

Comecei eu a viver.

Comecei a viver sem esperança...

E venha a morte quando

Deus quiser.





Dantes, ou muito ou pouco,

Sempre esperara:

Às vezes, tanto, que o meu sonho louco

Voava das estrelas à mais rara;

Outras, tão pouco,

Que ninguém mais com tal se conformara.





Hoje, é que nada espero.

Para quê, esperar?

Sei que já nada é meu senão se o não tiver;

Se quero, é só enquanto apenas quero;

Só de longe, e secreto, é que inda posso amar. . .

E venha a morte quando Deus quiser.





Mas, com isto, que têm as estrelas?

Continuam brilhando, altas e belas.


Sabedoria de José Régio



O meu comentário???



Fala-se em espera, em morte....



Com uma esperança escondida....



Pois ainda se consegue ver as estrelas....



Sentir o brilho....sonhar com a beleza....



Apenas o cansaço nos vence...



O cansaço do corpo....não o da alma.....



Porque escrever tais versos...



..............é realmente ainda amar com certezas.....

4 comentários:

Só Eu disse...

Marta
Adorei (já sabes o resto...)
Beijinhos e até amanhã

tufa tau disse...

realmente há vezes em que apetece desistir

deixo um beijo

Jade disse...

Desistir...não!!!

Mais uma vez uma bela peça!
:)
Um beijo

RENARD disse...

Quando realmente pendurar as luvas?

Vontade não me falta muitas vezes...

Mas não luto só por mim mas por outros a quem devo respeito...

Cansaço? Ora!

Beijinhos