sexta-feira, junho 27, 2008

ATÉ QUE

não imaginas, ninguém imagina, como o meu peito

ficou vazio depois de partires. o teu sorriso existia

ainda dentro de mim, mas já não eras tu. era a tua

imagem.


não penso para onde foste porque o meu peito, sem

ti, fica atravessado por lâminas. tenho um silêncio

dentro. toco os sítios onde estiveram as tuas mãos.


sinto o que sentiste.
fico acordado de noite, com a esperança secreta de

que possas regressar.


José Luis Peixoto


O meu comentário???


Quem não se sentiu vazio...

Quem não guarda em si a esperança, o desejo de um regresso...

Em que se perdoa tudo....

Se esquece a ausência...

Explicações.... nem dadas nem pedidas....

Porque não se consegue lidar com a verdade....

Essa verdade que fica novamente enterrada....

Até que um dia..........

6 comentários:

Marta disse...

a susência de alguém magoa o coração e os pensamentos, mas nada nem ninguem consegue amansar essa dor.

beijinhho

http://www.marprofundo.net

Carla disse...

enterrar a verdade quase nunca é possível...um dia ela renasce e exige que olhemos para ela olhos nos olho
beijos e bom fim de semana

Só Eu disse...

Marta.
És como um remédio que tem que se tomar todos os dias. Se não tomamos ficamos mal...
Beijinhos

Xinha disse...

Por muito tempo achei que ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
" Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém rouba mais de mim."
(Carlos Drummond de Andrade)

Todos nós já sentimos o vazio, a perda, a ausência... até um dia...

Lindo post, como já é habitual!


Xi-coração

BC disse...

A ausência pode ser dolorosa, habitualmente é, mas nem sempre, existem ausências necessárias, depende das ircunstâncias.
Cada caso é um caso.
Está dentro de nós a falta ou não
falta dessa ausência.
Bom fim de semana
Beijinhos

Vieira Calado disse...

Eu imagino!
Um abraço