terça-feira, setembro 02, 2008

INFINITAMENTE


Águia

Voar, pensava então,

como se num bater de asas se elevasse o mundo,

como se a primavera rasgasse para sempre

a nuvem escura,

e sobre os meses não caíssem as penas,

como se as minhas garras sustentassem o

cordeiro ou a estrela

e mais para cima o meu bico cansado

levasse o teu coração.


José Agostinho Baptista


O meu comentário????


Voar sempre...


Ao sabor da imaginação...


Para que o mundo que se vê...


Lá no alto...seja perfeito...


Mesmo que o coração diga o contrário....


Seja sempre a Primavera....


Tudo recomece...tenha um sentido...


Sejamos reais, majestosos como essa águia...


Que domina o céu...o infinito

6 comentários:

utopias disse...

Um cantinho de afectos. Delicioso o poema... apetece voar nas asas dessa Águia

Pjsoueu disse...

Marta:)

Sabe bem voltar de férias e entrar neste espaço florido, com o sabor e o cheiro da poesia das palavras livres e sonoras; numa harmonia única. Voar nesta liberdade é sorriso da alma alegrando o dia:)

beijo do Pj:)

Alexandre disse...

Outro poema fantástico, voar é o dom supremo da vida... mesmo que esse voar seja o da imaginação...

FLOR disse...

Boa tarde!

Eu acredito que existem
seres humanos especiais,
como anjos terrenos
que nos cercam com luz,
força e sabedoria,
assim como...
Você

Tem post novo tá bom?


Beijos
Gisa

f@ disse...

Excelente poema..."se num bater de asas se elevase o mundo... " asas de pássaro, de borboleta, abelha... e as nossas asas ...
fazia mto mais sentido e sentimentos a levitar...
beijinhos das nuvens

JC disse...

Foi a primeira vez que vim ao seu blog. Gostei. Vou voltar. Quanto ao poema é lindo. Deixa vontade de saber o que vem a seguir.
Bjs